Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Holly Reader

Opiniões literárias, leituras programadas, desafios, devaneios, TAG's, novidades editoriais, eventos, encontros. Aviso: pode criar dependência a livros :)

Holly Reader

27 de Outubro, 2017

Livrarias | Jorge Carrión

IMG_1247.jpg

 

Com este livro aumentei exponencialmente a minha wishlist. Para além de ser um livro acerca de livrarias, é também acerca de várias épocas, alturas em que o livro, a literatura e a arte da escrita tinham outro valor. O que mais gostei foi de ter conhecido os espaços que alguns dos autores presentes na minha estante frequentavam. Através do livro é possível ter uma ideia das dificuldades com que tiveram que lidar na altura, os diversos países por onde passaram, quem era amigo de quem, como é que indústria funcionava. Gostei também muito de conhecer a  história de formação de algumas livrarias icónicas.

 

Portugal não passou despercebido ao autor referenciando a Bertrand do Chiado, a Ler Devagar e a Lello. É muito difícil não sentirmos orgulho ao ver o nosso país mencionado (e ainda para mais com três livrarias) num livro de viagens que foi eleito como um dos dez melhores pelo jornal "Guardian".

 

Aspectos menos bons? A organização do livro não me pareceu muito clara, se por vezes estava em Buenos Aires, noutros regressava a Barcelona. Adicionalmente, senti que o autor não me revelou muito de si mantendo-se sempre muito objectivo em todas as descrições. Esperava ver mais sentimento reflectido na exposição desta paixão. 

 

O livro contém também algumas fotografias mas as mesmas aparecem sem nota de referência ou nota de rodapé de forma que por vezes é difícil perceber a que sítio se refere, isto porque não aparecem ao mesmo tempo que são mencionadas no texto.

 

Balanço positivo para esta estreia na literatura de viagens, fiquei com vontade de mais. Assim sendo, não pude deixar de adicionar alguns livros à minha lista de desejos pois o livro tem excelentes referências nessa área (e não só).

 

Em baixo deixo-vos com imagens de algumas livrarias mencionadas:

 

Shakespeare_and_Company_bookstore,_Paris_13_August

Shakespeare and Company, Paris

libreria-eterna-cadencia-buenos-aires-3-trabalibro

Eterna Cadencia, Buenos Aires

cook&book bookshop bruxelles.jpg

Cook & Book, Bruxelas

756e5583551cb23936dc026877115d78.jpg

Robinson Crusoe 389, Istambul

librería caracs pulperia.jpg

La Gran Pulpería del Libro, Caracas

livraria-pequim.png

Bookworm, Pequim

bookabar-roma1.jpg

Bookàbar, Roma

 

26 de Outubro, 2017

A história interminável | Michael Ende

IMG_1243.jpg

 

Saí da minha zona de conforto e compensou. Adorei conhecer este livro. Capa linda, interior surpreendente. A parte visual tem um papel fundamental ao longo de todo o livro, quer nas ilustrações das páginas quer no nosso imaginário que se expande.

 

Sim, é um livro de fantasia mas os personagens criados tocam no nosso íntimo, no fundo são representações de valores importantes que foram esquecidos ou excluídos. Criaram-se para nos chamar atenção, tal como o protagonista que quase é uma extensão de nós próprios. Um livro sobre livros. Um livro onde a ficção se sobrepõe para mais uma vez nos mostrar o lado maravilhoso da vida. 

 

Mais um livro fantástico lido em 2017.

 

Partilho também um vídeo que complementa a minha opinião:

 

 

23 de Outubro, 2017

4º Encontro do Clube dos Clássicos Vivos

330236.jpg

 

A data está a aproximar-se..4 de novembro.

 

É incrível pensar que já fizemos 3 encontros, todos eles muitos distintos (tanto pelos locais escolhidos como pelas próprias discussões do clássico escolhido para esse encontro).

 

Desta vez será na Livraria Ler Devagar no LX Factory pelas 14:30.

 

Como sabemos que para alguns é difícil estar presente devido à distância geográfica tínhamos pensado fazer a discussão do clássico em directo para que pudessem assistir e também partilhar a vossa opinião. O que dizem desta ideia?

 

O clássico discutido será, como sabem, "Dom Casmurro" de Machado de Assis.

17 de Outubro, 2017

Rebeca | Daphne du Maurier

IMG_1075.JPG

 

Livro maravilhoso. Finalmente tirei-o da minha estante (nesta edição velhinha mas linda) e sei que vai ficar marcado na minha memória para sempre. Tem um magnetismo impressionante, queria ler sempre mais, era difícil deixá-lo e dava por mim a pensar nele durante o dia. Adorei a construção dos personagens e as enormes diferenças entre eles. 

 

Mr. e Mrs. de Winter são uma dupla imbatível com todas as suas dúvidas e receios, vejo-os com enorme clareza. O que dizer do poder arrebatador que Mr. de Winter exerce sobre a jovem mulher desde o primeiro minuto? Indescritível. Emocionei-me em algumas das partes, consegui perceber perfeitamente de onde vinha esta jovem mulher e o assombramento que as questões da sua própria mente lhe causavam. 

 

Obscura. Sempre na iminência do abismo. Cola-se a nós de forma absoluta.Não hesitem em conhecer esta história. Nada do que revelo atrapalha a surpresa da sua leitura. 

 

Partilho também vídeo completo de opinião:

 

10 de Outubro, 2017

Dom Casmurro | Machado de Assis

Já considero este livro como um indispensável na estante. Perfeito para leitores mais experientes como para quem ainda não se apaixonou pela literatura. É cativante pela sua simplicidade e tom intimista. Foi assim que Machado chegou ao meu coração e ocupou um lugar nos preferidos

 

E agora?

 

Agora vou continuar a conhecer a obra do autor, parece-me que com Machado não há que enganar: é sempre uma boa aposta. As páginas viram-se, o livro termina mas o sentimento de aconchego permanece.

 

Aqui coloco vídeo de opinião completa.

 

06 de Outubro, 2017

Moby Dick | Herman Melville

IMG_0994.JPG

 

Moby Dick não se esquece jamais. Em cada palavra sentimos a dedicação de Melville a este livro. Saio desta leitura com uma grande admiração pelo autor e com vontade de conhecer mais da sua obra.

 

À medida que a narrativa se desenrola o ar vai ficando cada vez mais pesado e sentimos que o céu se vai escurecendo como prenúncio de algo mau que se aproxima. Queremos tomar parte desta história, saltar a bordo do navio Pequod, ajustar as velas e alertar a tripulação. O capitão Ahab é uma daquelas personagens maravilhosas e melancolicas que marcam um leitor, talvez porque cada pessoa carrega um pouco dele. Todos caminhamos com as nossas feridas, tentamos curá-las com as coisas que nos fazem bem, e por vezes com o próprio veneno que as causou. 

 

"Todos os homens vivem rodeados de linhas de baleias. Todos nascem com cordas em volta do pescoço; é apenas quando se encontram perante uma morte súbita e rápida que os mortais percebem os perigos silenciosos, subtis e sempre presentes da vida."

 

Em baixo coloco vídeo completo de opinião:

 

04 de Outubro, 2017

Rostos na multidão | Valeria Luiselli

IMG_0964.JPG

 

Ainda estou intrigada com a leitura deste livro. Começou muito bem, de forma confusa é certo mas conseguiu (talvez por isso) captar a minha atenção. Começamos por acompanhar uma mulher que nos fala de dois períodos distintos da sua vida. No presente é apresentada a normalidade, o passar dos dias sem nada a assinalar. No passado somos confrontados com a peculiaridade dos personagens. 

 

Esta mulher - no passado - ficou obcecada pela obra de um poeta dos anos vinte chamado Owen e faz de tudo para convencer o seu chefe (director de uma pequena editora) a publicá-lo. A certo ponto Owen torna-se no personagem principal desta história - tanto ao assombrar esta mulher no metro quanto a contar-nos a sua versão da história. 

 

Ainda antes de chegar a meio do livro dei por mim meia aborrecida, limitando-me a contemplar ao longe estas assombrações e vidas febris. Nas páginas finais percebi finalmente o que estava a acontecer (uma ideia original e desconcertante, há que dizer). As vidas dos personagens desdobram-se e aproximam-se como duas folhas demasiado finas para subsistirem sozinhas. Foi só aqui que senti alguma magia.

 

"As pessoas morrem, deixam irresponsavelmente um fantasma de si próprias por aí, e depois continuam a viver, original e fantasma, cada um por sua conta."

02 de Outubro, 2017

Livros para Outubro (TBR)

FullSizeRender 10.jpg

 

Decidi que este vai ser mesmo um mês fora do normal. Vou aventurar-me por géneros literários pouco usuais para mim. Um clássico medieval do séc. XIV, uma história de fantasia, um policial não-ficção, um romance de viagens, um livro sobre livros de não-ficção e um clássico recheado de mistério.

 

Em baixo vídeo onde falo mais um bocadinho acerca de cada um deles e das minhas expectativas.

 

 

Quem já leu algum deles ou pretende ler?

Quem foi surpreendido e quem ficou desiludido? Contem tudo.