Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Holly Reader

Confissões de uma bookaholic.

Holly Reader

Confissões de uma bookaholic.

Sempre vivemos no castelo | Shirley Jackson

IMG_6776.JPG

 

Escolhi ler este livro dentro do excelente projecto #marçofeminino do blog Say hello to my books. A autora é considerada uma das mais influentes escritoras norte-americanas e este é o seu primeiro livro editado em Portugal.

 

A história é bastante peculiar, narra a vida de duas irmãs que vivem juntas e isoladas de toda a população da aldeia. A razão pela qual vivem assim vai sendo revelada ao longo de livro, sendo que desde o primeiro parágrafo percebemos que não estamos a lidar com personagens "normais". A irmã Mary Katherine é a narradora e revela desde o primeiro momento que sente um enorme fosse entre ela e "os outros", dentro da cabeça dela tudo gira à volta de pensamentos macabros e da morte. A sua grande e única amiga é a sua irmã Constance que parece viver num mundo fantasiado para se proteger a ela própria e a Mary Katherine. As irmãs partilham a sua casa com o tio Julian, um homem que vive preso a um acontecimento que assombra as vidas destas três personagens. O ponto de viragem é o aparecimento de um primo que vai obrigar todas as personagens a lidarem com o exterior e a realidade da qual tentam a tudo o custo fugir. 

 

A história só pela originalidade merece destaque, não há dúvida. No entanto, para além desse ponto, o livro não me encantou. Achei os pensamentos de Mary Katherine repetitivos, infantis e descontextualizados, podendo muito provavelmente ser esse o intuito, mas não me prendeu de todo. A ação desenrola-se bastante lentamente, relatando o dia a dia das irmãs, por vezes, de forma muito minuciosa, o que me aborreceu. Também me faltou um pouco de contextualização em relação aos pensamentos e comportamentos das irmãs. Ou seja, seria preciso ambas terem sofrido traumas bastante graves para se apresentarem assim na história e isso não é revelado ao leitor. Por fim, não notei uma alteração emocional das personagens ao longo da história, excepto um pouco da irmã Constance, mas que foi rapidamente revertido ao anterior. Resumidamente, consigo ver o valor e interesse do livro, mas não consegui gostar dele.

 

No domingo de manhã, a mudança estava um dia mais próxima. Eu estava decidida a não pensar as minhas três palavras mágicas e não as deixava entrarem-me na mente, mas o ar de mudança era tão forte que não havia maneira de o evitar. A mudança pendia sobre as escadas e a cozinha e o jardim como se fosse nevoeiro. 

 

Minha pontuação Goodreads: 2*

Leituras para março

FullSizeRender.jpg

 

Durante o mês de março quero terminar de ler dois livros que ainda tenho pendentes de fevereiro e iniciar estes dois. O "Eu sou a árvore" do Possidónio Cachapa no âmbito do projecto ongoing #lerosnossos e o "Sempre vivemos no castelo" da Shirley Jackson por recomendação da Claúdia do blog A mulher que ama livros, dentro do projecto #marçofeminino da Sandra do blog Say Hello to My Books a quem agradeço esta óptima iniciativa.

 

Gostaria ainda de adicionar um livro de poesia pois no dia 21 de março assinala-se o Dia Mundial da Poesia.

 

Quem mais se vai juntar a nós nestes dois projectos?

 

Mais sobre mim

foto do autor

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D