Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Holly Reader

Opiniões literárias, leituras programadas, desafios, devaneios, TAG's, novidades editoriais, eventos, encontros. Aviso: pode criar dependência a livros :)

À espera no centeio | J.D. Salinger

IMG_5829.JPG

 

Li este livro dentro da Maratona Literária Fusão da Cláudia e para o Desafio Potter-a-Thon. As expectativas estavam bastante altas e devo dizer que o livro não é nada do que estava à espera o que, por si só, não é necessariamente mau. Infelizmente, neste caso, para mim foi. 

 

Penso que grande parte do meu descontentamento com o livro se deve ao facto de eu não ter compreendido o personagem principal. O livro narra os acontecimentos da vida de um adolescente que foi expulso de um colégio interno e que tenta ocultar esse facto dos pais. Durante todo o livro é como se estivessemos dentro da cabeça deste personagem, o que é uma experiência absolutamente esquizofrénica porque se num segundo afirma uma coisa, logo a seguir contraria-se, o que me deixou perdida, fiquei sem conseguir perceber as suas verdadeiras intenções. Compreendo que é um adolescente perdido (não são todos?) e perturbado, digo isto porque não tem um único pensamento ou frase que faça sentido. Na maior parte das vezes, enquanto fala, está abstraído com outras questões. 

 

Os comportamentos e pensamentos dos adolescentes podem ser desconcertantes (penso que toda a gente passou por isso) mas faltou-me uma linha orientadora, não percebi de onde é que o personagem vinha e, talvez mais importante ainda, onde queria chegar (mesmo que não tivesse chegado). Para além disto, a escrita não me cativou, grande parte da narração é repetitiva o que tornou a leitura aborrecida. 

 

Coloco em baixo uma das passagens que gostei do livro

"Vê se abres esses ouvidos. Seria completamente diferente. Tínhamos de descer de elevador cheios de malas e o resto. Tínhamos de telefonar a toda a gente para nos despedirmos e mandar-lhes postais dos hotéis e tudo. E eu havia de ter um emprego num escritório qualquer, a ganhar uma data de massa, a ir para o trabalho de táxi ou nos autocarros da Avenida Madison, a ler os jornais, e a jogar brigde o tempo todo, e a ir ao cinema a ver uma data de curtas-metragens estúpidas e de anúncios de filmes de atualidades. Atualidades. C´um caraças. Há sempre uma estúpida corrida de cavalos, e uma dama qualquer a partir uma garrafa contra um barco, e um chimpanzé a andar na merda de uma bicicleta vestido com umas calças. Não seria nada a mesma coisa. Não estás mesmo a ver o que eu quero dizer."

 

Minha pontuação no Goodreads: 2*

 

8 comentários

Comentar post