Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Holly Reader

Opiniões literárias, leituras programadas, desafios, devaneios, TAG's, novidades editoriais, eventos, encontros. Aviso: pode criar dependência a livros :)

A preparar as leituras de outubro

154001_1392900001.jpeg

 

Vamos fazer um ponto de situação?

 

Há alguns livros que quero mesmo incluir para outubro por normalmente este mês se associar ao sobrenatural, fantasmagórico e  fantasioso.

 

É um dos meus meses preferidos do ano por causa do Halloween (Dia da Bruxas). Quanto ao início do frio e à imagem das folhas a cair, confesso que prefiro os dias longos e arrastados de verão.

 

Defini alguns objectivos para este mês:

- ler apenas livros que tenho na estante (com uma excepção da biblioteca);

- ler livros de géneros menos presentes nas minhas TBR's;

- dar prioridade às leituras que já iniciei e ainda não terminei.

 

Assim sendo, um dos que vai estar presente na minha lista é o "Dom Casmurro" de Machado de Assis, leitura do Clube dos Clássicos Vivos (é a excepção que vem da biblioteca). Vou incluir vários livros de géneros nada usuais aqui no blog (depois mostro tudo), pretendo terminar dois livros de setembro antes de me atirar à listagem de outubro e vou desistir de uma leitura que tenho vindo a arrastar. Não está mesmo a funcionar.

 

Mais à frente venho contar mais pormenores, estou muito contente com as minhas escolhas e apetece-me começar já! As minhas leituras são, no entanto, muito flexíveis e por vezes acabo por incluir livros que à partida não tinha pensado ler nesse mês. Esse prazer faz parte da liberdade do leitor.

 

E vocês? Já sabem o que vão ler? Costumam programar ou nem por isso?

Amos Oz | Uma história de amor e trevas

 

Este livro é muito mais do que aquilo que consegui dizer no vídeo. Não é um livro que recomende a toda a gente, tem um ritmo lento que se vai revelando aos poucos ao leitor, abre-nos um mundo muito próprio criado há mais de 70 anos nas terras de Israel. É possível sentir o calor trazido pelas areias escaldantes do deserto. De repente, expande-se e atira-nos conjuntos de imagens como quem projecta uma película desorganizada porque tudo isso são memórias, fragmentos imortalizados sem ordem nem porquê.

 

É um livro de emoções delicadas à flor da pele, de amor e de escuridão, do que se revela nos nossos gestos e do que guardamos para sempre connosco. Com este livro Amos Oz conta-nos um pouco daquilo que se passa no seu coração. 

 

Minha pontuação no Goodreads: 4*

Acerca do encontro

21586642_1539243819470329_8088497949516809184_o.jp

 

Foi assim: divertido, descontraído e com uma vista linda. Trocam-se opiniões, fala-se de livros (para além do Clássico lido), das coisas que aprendemos com a leitura, da nossa evolução enquanto leitoras, do que por vezes nos aborrece, daquilo que nos faz brilhar os olhos e o tempo parece parar e voar.

 

Não há grande espaço para a vergonha entrar porque os livros têm o dom de quebrar barreiras e colocar palavras na nossa boca. Há leitores rápidos e velozes, leitores que fazem os livros durar, leitores que aproveitam os poucos minutos livres para ler mas no fundo somos todos iguais: quando lemos estamos num universo à parte, um mundo aqui mesmo ao lado onde somos ainda mais felizes.

 

É assim o Clube dos Clássicos Vivos.

 

Junta-te à nossa próxima leitura Dom Casmurro de Machado de Assis.

Pág. 1/2